Eventos:

Segundo pesquisa feita pela B3, apenas 7% dos investidores aprendem sobre investimentos com assessores e gerentes. Queremos mudar essa realidade e acreditamos que os eventos é uma forma eficiente de levar conhecimento aos nossos clientes.

 


Devido a pandemia do coronavirús nossos eventos tem acontecido de maneira online, via zoom ou em nosso instagram @aliainvestimentos.

7fda2e9b-f861-4031-9fda-0d46a7e9134a.jfif
Fundos imobiliários e Taxa selic 
- Professor Baroni
Próxima data: 
20/04/2021
O mercado dos fundos de investimentos 
- Rafael Zatar
Próxima data: 
29/06/2021
Tudo que você precisa saber sobre o mercado de ações
Próxima data: 
20/07/2021
Proteger e Alavancar com derivativos e Commodities
Próxima data: 
28/07/2021

Conteúdos:

Renda fixa:

 

O que é?

 

Os investimentos em renda fixa são recomendados para aqueles investidores que buscam certa previsibilidade na rentabilidade das aplicações, com taxas e prazos definidos no ato da contratação.

 

Quanto rende uma renda fixa?

 

Esses títulos costumam ter três tipos de rentabilidade: pós-fixada, geralmente atrelada à Selic ou ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário), prefixada, com taxa definida no momento do investimento, ou atrelada à inflação, quando é remunerada uma taxa fixa adicionada do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

 

Quais os riscos?

 

Esses títulos costumam ter três tipos de rentabilidade: pós-fixada, geralmente atrelada à Selic ou ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário), prefixada, com taxa definida no momento do investimento, ou atrelada à inflação, quando é remunerada uma taxa fixa adicionada do IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo).

 

Tipos de renda fixa:

 

CDB: Título privado emitido por instituições financeiras com prazo e taxa definidos no momento da compra. Esse título conta com a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos em até R$ 250 mil por emissor e por CPF.

 

LCA: Título privado emitido por instituições financeiras com prazo e taxa definidos no momento da compra, lastreado por operações de crédito do setor agrícola. Tem isenção de IR e de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) para pessoas físicas, além de contar com a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos em até R$ 250 mil por emissor e por CPF.

 

LCI: Título privado emitido por instituições financeiras com prazo e taxa definidos no momento da compra, lastreado por operações de crédito do setor imobiliário. Tem isenção de IR, além de contar com a cobertura do Fundo Garantidor de Créditos em até R$ 250 mil por emissor e por CPF.

 

CRI e CRA: Título que gera um direito de crédito ao investidor, com prazo e taxa definidos no momento da compra, mas possibilidade de venda no mercado secundário antes do vencimento lastreado em créditos imobiliários (CRI) ou em créditos do agronegócio (CRA). Sua rentabilidade é isenta da cobrança de Imposto de Renda e, geralmente, sua rentabilidade é pós-fixada, atrelada ao CDI (Certificado de Depósito Interbancário).

 

Debênture: Título de crédito privado emitido por empresas que procuram um financiamento para seus compromissos financeiros. Esses papéis também podem ser negociados no mercado secundário e não contam com a cobrança de Imposto de Renda sobre seus rendimentos. Aplicar em uma debênture é, na prática, emprestar dinheiro para uma companhia com prazo determinado para receber seu dinheiro de volta.

 

Fundos de investimentos:

 

O que são?

 

Os fundos são uma modalidade de investimento que reúne recursos financeiros de um conjunto de investidores (cotistas) em uma cesta de ativos, comparando-se a um condomínio. Entre as suas vantagens está a possibilidade de permitir acesso a investimentos com valores menores do que seriam necessários para investir sozinho.

 

Quais os riscos?

 

Os fundos são uma modalidade de investimento que reúne recursos financeiros de um conjunto de investidores (cotistas) em uma cesta de ativos, comparando-se a um condomínio. Entre as suas vantagens está a possibilidade de permitir acesso a investimentos com valores menores do que seriam necessários para investir sozinho.

 

Tipos de fundos de investimentos:

 

Existem diversas categorias de fundos, sendo as principais os fundos de Renda Fixa, Cambial, Multimercados e Ações. Cada um possui com características específicas definidas pelas instituições reguladoras do mercado, como a CVM e Anbima. Confira mais abaixo.

 

Renda fixa

 

Produto que investe em títulos emitidos por entidades públicas ou privadas, atrelados à variação de taxas ou índices de preços prefixados ou pós-fixados

 

Fundo Cambial

 

 

Oferece a você a possibilidade de investir em diversos mercados ao mesmo tempo como juros, câmbio e ações. Por essa grande variedade, costuma ter variados tipos de estratégia, indicados para vários objetivos.

 

Multimercado

 

Tem a obrigação de investir no mínimo 80% dos recursos em dólares, euros ou em ativos que representem a variação dessas moedas, como títulos públicos ou privados. Seu principal fator de risco é a variação da moeda estrangeira ou do cupom cambial.

 

Fundo de ações

 

 

Aplica seus recursos em ações de empresas negociadas na Bolsa de Valores. Costuma ter política de investimento mais agressiva e, por isso mesmo, tendem a ser fundos mais voláteis, mais indicados a investidores com maior tolerância a risco.